Troca de passes

Passe de bola

bola-futebol

No final de uma partida de futebol, as estatísticas refletem o resultado do jogo. O time vencedor quase sempre tem mais posse de bola e chutes ao gol. A quantidade de passes errados também é um indicador importante. Passar a bola exige percepção da posição e do momento no qual se encontra o colega de equipe. Se ele tem condições para correr em direção ao gol, o passe deve ser um lançamento à frente do jogador, para dar velocidade. No entanto, se o colega está distraído ou marcado pelo adversário, a bola deve ser passada para outro colega. Se o passe é mal feito, o time perde a bola e tem de correr para o campo de defesa.

Contudo, o que parece óbvio em um campo de futebol, nem sempre é óbvio nos escritórios. Muitas pessoas não se importam com a qualidade dos seus “passes”. Elas enviam e-mails mal redigidos que geram dúvidas, preenchem formulários de maneira incompleta deixando os dados faltantes para os colegas, não reúnem todas as informações necessárias para que outros deem sequência às demandas. Uma pessoa que não passa a bola corretamente, prejudica toda a equipe, pois multiplica a confusão e gera retrabalhos.

Essa percepção de jogo é o que diferencia os jogadores medíocres dos grandes talentos do futebol. Se você quer ser um talento nos campos e nos escritórios, exercite sua percepção e capriche nos passes.

Publicado por

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado?Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia.Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

2 comentários sobre “Passe de bola”

    1. É verdade Ricardo. Em algumas empresas, a quantidade de “passes errados” é tão alta que gera perdas, conflitos e baixa qualidade. Um pouquinho de atenção e capricho ao passar uma demanda a diante faz toda a diferença.

Deixe uma resposta