Comodidade ou felicidade, qual é a sua escolha?

C

Algumas atividades nos dão o sentimento de realização, nos deixam cheios de energia e vitalidade. Outras, provocam preguiça e incômodo, como se algo estivesse errado. Para mim, por exemplo, caminhar num parque é uma dessas atividades que me deixam energizado, enquanto passar horas assistindo TV tem o efeito contrário. Imagino que você experimente o mesmo.

Contudo, fico chateado comigo quando percebo que na média passo mais horas assistindo TV do que caminhando em parques. Isso não faz o menor sentido. Ou pensando bem… Faz todo o sentido! Repetidamente, escolho minhas atividades pela comodidade e não pela satisfação que proporcionam. Sem perceber, faço isso o tempo todo, o que traz sérias consequências ao longo do tempo, pois gera o ciclo vicioso da preguiça. Escolhas ruins geram mais e mais preguiça, podendo involuir (o contrário de evoluir) para falta de esmero, desleixo, negligência e baixa autoestima.

Se queremos ter controle sobre nossas vidas, temos de agir com inteligência para quebrar esse ciclo. Uma boa estratégia é tornar os bons hábitos mais fáceis e o maus hábitos mais difíceis. Escolha a academia mais próxima da sua casa ou trabalho, mesmo que não seja a melhor. Se um parque for longe, caminhe na praça ou em volta do quarteirão, mesmo que não seja tão agradável. Peça para um amigo ficar com o controle remoto da sua TV por algumas semanas e obrigue-se a levantar para trocar de canal. Pense em comprar um sofá não tão fofinho. Quando for ao mercado, compre apenas comidas saudáveis e assim terá de sair de casa quando precisar de chocolate.

O pecado da preguiça sorrateiramente leva embora nossa vida, sem que façamos nada de útil para nós ou para as pessoas que nos importam. Mantenha-se alerta.

Sobre o autor

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado? Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia. Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

1 comentário

Artigos