O marketing e o ego

O ego está em todos. Ele nos torna vaidosos, orgulhosos, defensivos, agressivos, cegos, invejosos, obcecados e, por que não dizer, idiotas. Trata-se de um sistema psicológico defensor da personalidade que mantém os medos e aflições  em um ponto cego, fora da percepção. Isso acaba por distorcer nossa leitura do mundo e das verdadeiras emoções. Segundo muitos psicólogos, sem o ego morreríamos de angústia.

Apesar de sua função protetora, o ego nos torna maus profissionais e seres humanos. Na administração, marketing e comunicação, conhecidas como ciências do “depende” e da criatividade, seus sintomas estão tão presentes que chegam a preocupar. Quando tudo depende, fica muito fácil encontrar uma lógica mais favorável para justificar más escolhas e comportamentos.

Esteja atento a alguns dos sintomas do ego, nos outros e, principalmente, em você mesmo:

  • Ser comparativo;
  • Agir defensivamente;
  • Exibir superioridade ou inferioridade;

É muito comum ver esses elementos nas reuniões entre empresários e agências de marketing e propaganda. Quanto mais inflados forem os egos, maior será o risco de fracasso e conflito. Transcender o próprio ego é fundamental para obter uma leitura mais correta das situações. Ele não pode, nem deve ser eliminado, mas pode ser mitigado através de um trabalho constante de autoconhecimento e amadurecimento.

Esteja atento às oportunidades para reduzir as interferências do ego:

  • Abra-se verdadeiramente para novas ideias;
  • Entre em contato com seus sentimentos, sejam eles agradáveis ou desagradáveis;
  • Não julgue;

Publicado por

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado?Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia.Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

Deixe uma resposta