O mito da propaganda criativa

O mercado da propaganda adora evocar para si o sucesso de suas campanhas. Os publicitários alardeiam e premeiam as ações mais criativas. Dão a entender que sem a criatividade do publicitário, as campanhas seriam um fracasso.

Cá entre nós, você já reparou quantas vezes uma propaganda é repetida na TV ou no rádio? Algumas repetem-se durante meses ou anos, sofrendo apenas pequenas atualizações.

Estudos atuais sugerem que a repetição da mensagem é um dos fatores mais importantes no sucesso de uma campanha. O mercado da propaganda odiaria admitir isso. Afinal, se a repetição é tão importante quanto (ou até mais importante que) a criatividade da mensagem, o responsável pelo sucesso não é o publicitário criativo, mas sim o profissional de mídia e a verba disponibilizada pelo cliente.

O mito da mensagem criativa favorece o mercado da propaganda, mas tem seus efeitos colaterais. Muitos empresários estão em busca da mensagem criativa perfeita, capaz de acionar um botão mágico na mente do público que os transforma em compradores compulsivos. Essa é uma visão um tanto idealizada e romântica do marketing e da propaganda, não? Clareza na mensagem e repetição podem ser mais importante do que o humor ou purpurina.

O melhor que sua campanha pode fazer é ser suficientemente criativa e repetitiva para fixar sua marca na mente do público, associada a emoções positivas. Assim, quando o cliente tiver a necessidade, você será lembrado. A propaganda apenas lembra e associa. Nessa tarefa, a criatividade da mensagem é muito importante, mas sem a repetição, ela será insuficiente.

Publicado por

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado? Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia. Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

Deixe uma resposta