Alinhando esforços para atingir a visão

A

A análise e alinhamento do portfólio de projetos é uma das etapas mais importantes e mais negligenciadas em um planejamento estratégico. Nela reside o primeiro passo da implementação. Por ser um conceito pouco difundido e ainda relativamente carente de materiais, muitos gestores estranham esses nomes. Porém, isso é mais simples e mais relevante do que parece.

Todo planejamento estratégico resulta em uma grande lista de ações a serem implementadas que afetam e mobilizam praticamente todos os departamentos de uma empresa. A essa lista, acrescentam-se todas as ações ainda em curso. Por consequência, temos então um volume enorme de trabalho que certamente consumirá muito tempo e energia. Tanto que a sensação comum entre executivos é de sobrecarga e perda de controle.

Os executivos estão absolutamente certos. Se simplesmente iniciamos novos projetos e geramos novas listas de tarefas sem refletir sobre o que deve ser priorizado considerando os objetivos estratégicos, é muito provável que deixemos coisas importantes escaparem do nosso radar. Se os projetos não forem priorizados, organizados e gerenciados, o sucesso, se ocorrer, ocorrerá ao acaso. Sem priorização estratégica, o que for mais urgente parecerá mais importante, o que geralmente não é verdade.

Como resolver isso? O planejamento estratégico não pode acabar em uma simples lista de ações. É necessário prosseguir para o alinhamento do portfólio de projetos. Primeiramente, é necessário fazer um inventário dos projetos e ações em andamento. Depois, projetos e ações devem de ser agrupados de acordo sua similaridade em termos estratégicos, o que facilitará a análise.

Por exemplo, a reformulação de um ERP e um programa de marketing para captação de distribuidores podem ter o objetivo comum de atingir mercados internacionais. Com isso, o ideal é que ambos sejam implementados simultaneamente. Se houver dificuldades para agrupar projetos, este pode ser um sinal de falta de sinergia entre os mesmos, podendo indicar desalinhamento com a estratégia.

Inventário feito e reorganizado, agora é necessário priorizar os projetos, considerando os objetivos estratégicos, as perspectivas de sucesso e a disponibilidade de recursos. Nesse momento, alguns projetos poderão ser adiados ou abortados, liberando recursos para os mais importantes. Isso é um sinal de maturidade na gestão, pois reconhece seus pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças. Afinal, um ponto crítico de toda estratégia é o que se escolhe não fazer.

Sobre o autor

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado? Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia. Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

Comentar

Artigos