Estratégia é um mito

xadrez

Em uma partida de xadrez, os jogadores possuem objetivos claramente definidos e declarados: encurralar o rei. A disputa ocorre em um tabuleiro de 64 casas. Cada adversário conta com 16 peças. As possibilidades de movimentação são limitadas pelas regras.

Nesse contexto, há igualdade de recursos entre os oponentes e regras claras e específicas. Não há surpresas, nem exceções. A movimentação do oponente é aberta e relativamente previsível. Mesmo assim, é humanamente impossível elaborar uma estratégia vencedora para um jogo de xadrez, pois o movimento de uma peça interfere no jogo como um todo, numa enorme reação em cadeia.

Um simples tabuleiro comporta um número inimaginável de possibilidades. Cientistas calcularam esse número. Ele se chama número de Shannon e equivale a 10123, ou algo parecido com isso:

1.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.
000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.
000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.
000.000.000.000.000.000.000.000

Mas então como alguns jogadores conseguem ter excelentes desempenhos?

Eles analisam as probabilidades de acordo com as circunstâncias e revisam suas estratégias a cada movimento. Desse modo, podemos afirmar que não existe uma estratégia vencedora, mas sim estrategistas vencedores. A vitória em uma partida de xadrez está intimamente relacionada com a capacidade, velocidade e qualidade da análise do contexto e revisão da estratégia.

Agora responda com franqueza: sua empresa está em um contexto mais simples ou mais complexo do que uma partida de xadrez? Você ainda acredita em planejamento estratégico? Ou em gestão e pensamento estratégico?

Cerque-se de bons estrategistas.

Publicado por

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado?Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia.Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

Deixe uma resposta