Sonhos, metas, objetivos e visão, qual é a diferença?

Na teoria, há diferenças significativas entre sonhos, metas, objetivos e visão. Na prática, eles se misturam tanto que parecem a mesma coisa. Na verdade, são diferentes perspectivas em torno de um mesmo assunto. As nuances que separam tais conceitos revelam a importância de cada um. Portanto, esse artigo tentará evidenciar o contraste, destacando a relevância de cada conceito para cada momento.

A origem

Na raiz desses termos há um desejo, uma vontade de realizar algo. Para ser atendido, esse desejo provavelmente dependerá da colaboração de outras pessoas. Logo surge a necessidade de comunicá-lo de maneira clara e persuasiva. Contudo, desejos são emoções. Eles brotam de um estado de insatisfação, de incomodo emocional. Da necessidade de comunicá-los, surge a tentativa de mapear e estruturar o desejo, tornando-o acessível para todos os envolvidos.

O sonho

Enquanto o desejo não está minimamente claro e estruturado na mente de seu autor, pode-se dizer que ele é apenas um sonho. É a semente de um processo de mudança. Sonhos são confusos e abstratos. São emocionais e têm pouca utilidade prática. Todos sonham. É um processo natural. Quando começamos a interpretar o sonho, utilizamos a imaginação e iniciamos um processo de visualização.

A visão

A visão é o primeiro estágio do desenvolvimento. Ela ainda é abstrata. Ainda pode ser emocional. Porém, começa a se tornar comunicável por meio de uma declaração de visão. Redigir a declaração é importante, pois o processo de escrevê-la permite e exige a estruturação do sonho. Nela, descreve-se as situações futuras que foram imaginadas com o máximo de detalhes possível, até onde a mente alcança. Os meios para alcançá-la não são importantes nesse momento. Porém, se você já tentou fazer esse exercício, sabe como é inevitável pensar no caminho a ser tomado… Nossa mente automaticamente passa a elaborar estratégias. Enquanto o coração sonha, a mente planeja.

Os objetivos

Objetivos são racionais e claros. Eles surgem quase que naturalmente quando a visão é suficientemente clara.  São as raízes do planejamento e etapas de um plano de ação. O aspecto emocional do sonho e da visão é importante. Todavia, a aplicação prática e a comunicação diária entre os envolvidos se torna muito mais fácil quando há elementos racionais, diretos, estruturados e ordenados. As pessoas podem entender a visão, mas só conseguem colaborar se os objetivos forem claros. Declarações de objetivos facilitam as tomadas de decisão, a priorização de atividades e o investimento de recursos (tempo, dinheiro, atenção, etc.).

Ao perseguir seus objetivos, é provável que em vários momentos você se desvie do caminho devido a distrações ou urgências. Também é provável que perca o ânimo, não conseguindo enxergar evolução nos resultados, com um futuro nebuloso. Objetivos declarados, mas não realizados, parecem só aumentar a insatisfação, gerando um sentimento de incompetência e frustração. Uma vez declarados, os objetivos precisam ser realizados ou descartados. Guardá-los na gaveta é o pior a se fazer.

Há várias técnicas para manter a motivação e o foco nos objetivos. A mais comum e talvez mais funcional é o estabelecimento de metas.

As metas

O estágio final do amadurecimento dos desejos é o estabelecimento de indicadores e metas. Para manter-se no caminho e prever o que está por vir, é necessário que as ações e resultados sejam medidos, gerando um histórico de performance e ritmo. Desse modo, fica fácil reconhecer se há evolução ou não. Também fica mais fácil saber quando insistir, desistir ou mudar de estratégia. Indicadores são quantificáveis. Metas são números a serem perseguidos. Quando você atinge uma meta, sabe que está mais próximo de sua visão. Isso é um grande estimulo, não?

Descascando a cebola

Acabamos de cortar ao meio uma grande cebola! No núcleo está o sonho ou desejo. Em cada camada, ele amadurece e assume formas mais concretas e comunicáveis. Ao completar o processo, o desejo se torna sólido, quase real. Compartilhe sua visão, objetivos e metas e perceba a reação das pessoas. Isso é mais que um sonho que se sonha junto. É o mapa do sonho!

sonhos_visao_objetivo_metas

Agora, para caprichar no seu planejamento, leia também Uma questão de valores.

Publicado por

Daniel R. Bastreghi

O que nos move? Como fazer valer nossos esforços? Como aproveitar o tempo que nos é dado?Na esperança de um dia encontrar respostas convincentes para essas perguntas, eu, Daniel, passeio pelo mundo do marketing, empreendedorismo, psicologia, autoconhecimento e filosofia.Compartilhe suas percepções e ajude a construir o conhecimento.

4 comentários sobre “Sonhos, metas, objetivos e visão, qual é a diferença?”

  1. Amei o texto, é tão bem explicado que foi muito fácil de eu conseguir assimilar, além de me incentivar a como me organizar a dar forma para os meus sonhos e a conseguir realiza-los.
    Que Deus o abençoe e te capacite com mais conhecimento!
    Abraço.

  2. Adorei o texto e seu contexto!!!
    Muito bem explicado!
    Fiquei interessada no gráfico(mapa mental/?) e no e-book, mas aparentemente não está mais disponível por esta página!
    Vou seguí-lo Daniel!
    Grata
    Ana Paula

Deixe uma resposta